Páginas

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Melhor de 3 livros baseados em fatos reais

   Quando um livro é baseado em fatos reais, assim como acontece com algum filme, nosso olhar muda completamente. É quase que instintivo lê-lo. Está em nosso sangue querer saber da história dos outros e procurar, na experiência alheia, uma lição para a nossa própria vida. Enfim, separei três livros para mostrar para vocês. 
3º Depois Daquela Viagem conta a história de Valéria, uma brasileira, que depois de perder sua virgindade em uma viagem, descobre que foi contaminada pelo vírus HIV. Depois de um tempo ela consegue se livrar de seu namorado – que a contaminou – e de suas ameaças, mas a AIDS ainda está lá e não há nada o que fazer a não ser seguir em frente. Esse livro foi um dos mais fantásticos que eu já li, pois trata de um tema complexo e polêmico. Faz você ver a vida com outros olhos.





 O Clube do Filme conta a história de David Gilmour, um crítico de cinema quebrado. Ele tem um filho de 15 anos que parece não manifestar tanto gosto pela escola. Ao perceber que sua prole não se dedica ao colégio, decide lhe fazer uma proposta: se ele quiser, pode largar a escola e não terá que pagar aluguel nem arranjar um emprego. Ah, mas não é tão simples, se o garoto desistir mesmo da escola, terá que assistir três filmes por semana. É uma história marcante, engraçada e única. O modo como David tenta fazer seu filho crescer e amadurecer, reflete como muitas pais fazem com seus filhos (embora de maneiras diferentes).




1º Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída... Um livro muito famoso há anos atrás e que nos dias de hoje caiu no esquecimento. Assim como o filme, o livro é impactante. Mostra a realidade nua e crua da vida de uma adolescente viciada em heroína, desde seu começo até sua perdição. A riqueza como é descrito os efeitos de cada droga (que Christiane experimentou) é riquíssimo. Para todos aqueles que acham que a vida é como um episódio de Skins, tem que ter esse livro como leitura obrigatória. E para todos que querem escrever uma personagem desse tipo, coloque esse livro na sua lista de pesquisa. Talvez o único ponto negativo esteja na narrativa. Como não foi Christiane que escreveu o livro – e sim dois homens após ouvir seu depoimento no tribunal –, em algumas partes do livro há trechos narrados por sua mãe e outras autoridades, mas essas partes são minorias.

Um comentário: